Playlist: Kpop

Big Bang - Fantastic Baby*
Em todos esses anos de blog eu fiz poucos posts sobre música, dá para contar nos dedos, e é uma pena, por que assunto é o que não falta. Se eu tivesse que descrever o meu gosto musical, diria que ele é no mínimo peculiar, eu não tenho um ritmo favorito e minha playlist vai de Joan Jett a Katy Perry, e rola até uns sambas enredos de vez em quando, dá para ver que é bem diversificado, né? 

Até bem pouco tempo atrás o único ritmo que eu não tinha experimentado ainda eram as músicas asiáticas, e vou confessar, tudo que eu tinha ouvido até então não tinha me agradado, e alguns até me assustado, até que um dia, assim do nada, eu descobri um grupo que (1) me fez ficar grudada na frente da televisão e (2) resgatou lá do fundo da minha alma um fangirlismo que estava adormecido há anos.

Book Haul #1


Como parte das mudanças que estou preparando para o blog esse ano, a coluna Book Haul, veio para substituir o 'Enquanto isso por aqui', que era onde eu trazia atualizações sobre as minhas leituras e aquisições do mês, apesar de gostar do formato antigo, eu estava querendo essa mudança há algum tempo, pretendo assim espero escrever um por mês, e vou falar um pouquinho sobre cada livro/hq/mangá que chegar.

[RESENHA] Gravitation #1 e #2


Autora: Maki Murakami | Editora: JBC | Gênero: Yaoi | Série: Sim (12) | Nota: 5/5 (+18)

Nada melhor do que começar o ano cumprindo metas, eis que hoje vou falar um pouquinho sobre Gravitation, esse mangá/anime que já é meu xodó há dez anos. Vem conhecer Suichi e Yuki!!! Antes da resenha é importante saber que yaoi é o termo amplamente usado para categorizar mangás que tenham conteúdo BL, ou seja, boy's love, então se você não curte, esteja avisado.

Eu conheci Gravitation numa época em que eu nem acessava internet ainda, então eu conhecia mangás/animes através de revistas especializadas no assunto, e foi assim, totalmente por acaso (aliás, isso sempre acontece comigo, a maioria dos meus livros, mangás, séries, filmes, animes favoritos eu conheci assim) que eu me apaixonei por essa história. Eu sempre acreditei que o amor não é hétero/homo, que você pode se apaixonar por qualquer um, independente de ser homem ou mulher, ou de quanto relacionamentos você já teve anteriormente, quando amor acontece, ele acontece e pode te pegar desprevenido, e ninguém pode dizer que o relacionamento de Suichi e Yuki, não pegou os dois totalmente desprevenidos.