Enquanto isso por aqui #1


Eu sempre leio nos blogs que acompanho, caixinhas de correio ou posts semanais sobre o que andaram lendo e recebendo, que são sempre muito interessantes. Então decidi fazer um também, já que acho a idéia muito boa, mas optei por fazer um que seja mensal, já que para mim é mais viável.
Dividi em sete categorias, que são elas: *Livros lidos; *Recebidos; *Aquisições; *Desejados; *Melhor Leitura; *Melhor Resenha; *Andamento dos desafios  que estou participando.

Fevereiro:
*Livros lidos:
  1. Silêncio
  2. Visão do Além
  3. Emily the Strange - Os dias perdidos
  4. Qual seu número?
  5. Coisas Fragéis
  6. Paixão
  7. Aura Negra (Vampire Academy #2)
  8. Cidade dos Ossos
  9. Julieta Imortal
  10. Amy Winehouse - Biografia

*Aquisições:
  1. A guerra dos tronos (Skoob livroxlivro)
  2. A segunda breve vida de Bree Tarner
  3. Emily The Strange – Os dias perdidos
  4. O dia da caça
  5. O menino do pijama listrado (Skoob plus)

 
Esse mês fiz trocas excelentes no skoob, pena que vai demorar para chegar por causa do carnaval.

*Desejados: Top 5
  1. Watchmen Ed. Definitiva (altamente desejado e igualmente caro) - Skoob
  2. Principe Sombrio - Skoob
  3. A visita cruel do tempo - Skoob
  4. A rainha da fofoca #3 - Skoob
  5. Cidade das cinzas - Skoob

*Melhor leitura:
Li ótimos livros esse mês, mas nenhum foi tão aguardado, esperado e amado quanto Silêncio, que dada a expectativa que eu tinha podia acabar sendo frustrante, mas Becca não faria isso comigo e não fez.
O livro esta excelente, a capa ficou incrível a mais linda das três, a historia flui muito bem, tanto que eu li o livro em dois dias. Patch fica melhor em cada livro, Nora esta bem menos irritante do que estava no ultimo livro e o final foi de tirar o fôlego.

*Melhor Resenha:
Meu propósito é escolher a resenha que mais me fez querer sair correndo pra comprar o livro. Mas a resenha que escolhi esse mês é de um livro que já li, Tamanho Não Importa da Meg Cabot. Essa resenha eu li no blog Leitora Compulsiva da Camila. Além da resenha estar engraçadíssima e interessante, eu quase tive um infarto quando descobri que o livro tem uma seqüência, #queromuito.

*Desafios:
Desafio Realmente Desafiante – Fevereiro
Nesse mês o desafio era ler um livro em que um personagem tivesse a mesma inicial que a sua. Escolhi Julieta Imortal da Stacey Jay publicada pelo Novo Conceito. Resenha Aqui.

*Desafio Literário 2012:
Foi de ultima hora que eu consegui participar do desafio esse mês, que era enviar uma foto da sua estante para votação que vai acontecer lá no blog Start Read. Então se vocês puderam dar uma passada lá para votar na minha estante, ficarei muito agradecida. Mas não tem identificação, então esta é minha modesta, porém amada estante:


Beijos

Desafio Realmente Desafiante: Julieta Imortal



A maior historia de amor de todos os tempos é uma farsa.

Esta resenha faz parte do Desafio Realmente Desafiante, neste mês a tarefa é ler um livro em que um personagem tenha as mesmas iniciais que você. Por isso escolhi Julieta Imortal, que eu já tinha comprado a um tempinho mas reservei para o desafio.

Julieta não morreu por não suportar viver sem seu amor, e assim tirou a vida. Não! Julieta foi brutalmente assassinada pela pessoa que ela mais amou, Romeu. 

Há duas forças em combate, os Embaixadores criaturas de luz que tem como objetivo proteger as almas gêmeas e os Mercenários que se alimentam da dor e do sofrimento destruindo os enamorados. Os Embaixadores agem como guardiões, protegendo os amantes até que eles se fortaleçam e não possam ser corrompidos. Os mercenários agem de uma forma corrompedora (e assustadora para suas leviandades assumem corpos de pessoas mortas), levando uma das almas gemeas a assassinar a outra em troca da imortalidade.

E foi justamente isso que Romeu fez, ele trocou Julieta pela promessa de imortalidade e se tornou um mercenário. Porém à Julieta antes da morte foi dada a escolha de ser tornar embaixadora, a qual ela aceitou e sua alma fica assim a disposição dos Embaixadores. Agora o casal mais famoso da historia luta em lados oposto, ela tentando salvar e ele corromper os corações apaixonados, num embate que já dura 700 anos.

Mas algumas coisas estranhas acontecem com Julieta em sua ultima missão, além de não esperar uma encarnação tão cedo (já que a ultima havia sido há 15 anos, e entre uma e outra geralmente se passam meio século), ela se apaixona e coloca em risco toda sua missão. Romeu por outro lado fica lhe tentando com promessas valiosas de redenção, acreditar em Romeu depois de tudo que aconteceu, não é uma escolha viável, mas é tentadora. Agora que seu coração bate descompassadamente por outro, será possível a ver salvação?

Tenho que dizer que o livro é confuso no inicio, você precisa resistir bravamente às primeiras páginas para encontrar uma historia mais coesa. O enredo em si é bom, e enquanto eu estava esperando minha irmã fazer um exame eu mergulhei na historia, alheia a qualquer conversa. Mas quando cheguei no final esbarrei em um outro problema que fez com que a historia se tornasse confusa de novo. O problema todo é que apesar de ser apresentado a solução para o problema proposto, você fica sem saber como aconteceu, não sei se é um problema de entendimento meu, eu fiz algumas suposições mas não fiquei muito satisfeita com elas, e para mim foi um pouco frustrante nesse ponto.

Não sei se haverá alguma explicação no segundo livro Romeo Redeemed (Romeu Redimido) – tomara que a capa seja tão bonita quanta a primeira -, mas espero que sim, pelo menos algum suporte ao primeiro que ficou meio perdido em alguns pontos. 

Apesar de alguns problemas que eu tive com a historia eu recomendo o livro, pois é uma historia bonita mesmo que se perca as vezes.

Resenha: Qual seu numero?


Qual seu numero? - Karyn Bosnak
Tenho que confessar que apesar de que já ter visto inumeras resenhas desse livro, nunca tinha parado para ler sobre o que se tratava. Mas quando finalmente depois de ver inumeras resenhas espelhadas pela blogsfera, resolvi dar uma chance e ler pelo menos uma, sabe o que aconteceu claro que sabe já que estou escrevendo uma resenha, eu me encantei pela historia e resolvi comprar o livro mais rapido possivel.

Delilah Darling esta prestes a completar 30 anos e sua vida esta uma bagunça, não tem namorado, acabou de perder o emprego, seu avô que é como um pai vai se mudar para o outro lado do país, sua mãe não larga do seu pé e para completar sua irmã mais nova esta prestes a se casar não que ela sinta inveja ela garante. Para piorar toda essa situação Delilah ler em uma matéria em seu jornal favorito o New York Post, que a média de parceiros sexuais para um mulher de 30 anos é 10,5 e que a chance de se encontrar um relacionamento sério a partir daí é praticamente nula, o que deixa Delilah desesperada já que ela já dormiu com 19 caras, agora ela acha que não tem mais nenhuma chance de ser feliz no amor. Nessa fase até em celibato ela pensa, mas sabe que não iria dar certo, mas só de ler ela propondo a idéia para si mesmo é muito engraçado. Então decide dar mais uma chance ao amor, mas um cara e apenas um, só irá dormir com mais um cara se tiver certeza que ele irá ser seu “principe encantado”.

Mas sabemos que nem tudo sai como planejamos não é mesmo, e é exatamente isso o que acontece com ela. Em uma festa onde todos aqueles demitidos da mesma empresa em que Delilah trabalhava foram para afogar as mágoas em litros de vodca e tequila, as coisas saem fora de controle  e quando acorda de manhã ao lado de um cara estranho numa casa estranha, Delilah tem certeza que todas as suas chances foram para ralo abaixo. Mas tudo que é ruim pode ficar ainda pior, ela não só desperdiçou a chance de encontrar o verdadeiro amor segundo ela, mas fez isso com o cara que ela mais odeia no mundo, Roger seu antigo chefe que além de ter tentando roubar uma ideia sua, não deu apoio nenhum aos funcionarios demitidos.

Desesperada sai de lá, indo para casa de taxi decide parar na igreja e se confessar coisa que não faz há muito tempo, sua conversa com o padre é interessante mesmo! e ele diz para ela repensar o motivo pelo qual dormiu com cada desses 20 caras. Mas como ela realmente não é muito normal  ela decide ir além, fará a lista e irá reencontrar todos os caras com quem já dormiu, pois tem certeza que um deles é o grande amor de sua vida, e assim sua lista não irá aumentar, pronto aí esta a sua solução.

Quote:
“Daniel (padre) disse que não havia uma solução para o meu problema, mas por Deus é claro que há. Ele me diz que eu preciso de Jesus – quem ele pensa que é? Eu não preciso de Jesus. Eu preciso é do Google.”

Com ajuda de Colin seu vizinho gostosão que é ator/bartender/investigador irá achar o endereço de todos eles e reencontra-los (menos os dois ultimos que ela não que ver nem pintado de ouro) para assim achar o seu verdadeiro amor. Não preciso nem dizer que uma mulher semi-doida, num carro sozinha rodando o pais atras de um monte de caras com quem já dormiu é diversão na certa. Sempre em contato com o seu vizinho que acaba se mostrando um amigo de verdade e com amiga Michelle que são os únicos que sabem onde ela esta (na verdade Colin só sabe meia verdade  ele sabe o que ela esta fazendo, mas não sabe o porque) Delilah cruza o país se metendo em muitas confusões hilariantes.

O que eu mais gostei no livro é a mensagem de que não devemos pautar nossas vidas pelo o que os outros esperam da gente, e no fim Delilah descobre isso o que acaba abrindo seus olhos para as coisas ao seu redor, e revelando que o amor ah o amor! pode estar mais perto do que a gente imagina. Eu não achei que o livro prega a promiscuidade como li o que algumas pessoas escreveram por aí, pode até parecer clichê clichezão mas somos livres para fazer o que quisermos, dar cor que mais gostamos, passando pelo canditado que escolhemos nas eleições e sim para decidir com quantas pessoas dormimos,  já passamos do tempo de julgar as pessoas pela vida sexual que levam. 

Curiosidades: 
  • O titulo original do livro é  “20 times a lady”.
  • No cinema Delilah é interpretado por Anna Farris que todo mundo conhece da franquia Todo mundo em pânico, ela é hilária e eu sou fã dela, tenho certeza de que multiplicará as maluquices da personagem deixando tudo como é possivel? ainda mais divertido. E Colin é interpretado pelo super gato Chris Evans (que ficou super bem na capa do livro) o Tocha-humana de Quarteto fantastico
  • O livro tem trilha sonora própria, em sua busca pelo país Delilah faz uma playlist que comporta sucesso dos anos 70 aos anos 2000. Tenho que confessar que amei a parte das Spice girls.

Resenha: Melancia


 

Tenho que confessar que essa resenha não será em nada parcial. Pode ser que eu extravase uma pouco as emoções e então se você não está disposto a ler alguns devaneios, sugiro que pare por aqui.

Claire tem 29 anos e é uma mulher realizada, tem um excelente casamento, um emprego estavel, sua propria casa e esta prestes a dar à luz ao seu primeiro filho. Sua vida não poderia ser mais feliz, mas é ai quando todos os seus planos para o futuro começam a desmoranar. No dia do parto, Claire perceberá da pior maneira que sua vida não será exatamente como planejou, logo após o parto James, seu marido a comunica (nem espera ela sair do hospital) que esta amando outra mulher,  que a está deixando  FDP eu quase tive um ataque nessa parte, que tipo de homem faz isso e que não está preparado para assumir a responsabilidade de ter um filho simples assim, na maior cara de pau.

Claire agora está totalmente perdida, sozinha, sem apoio e ainda por cima tem um bebê para criar, então decide ir para a casa dos pais em Dublin e lá passar o tempo da licença maternidade. Na casa dos pais depois de contar tudo aquilo que aconteceu, digamos que a protagonista entra em um processo de melancolia profunda, não sai da cama, quando sai é para conseguir bebida, não cuida da filha, só chora  e se lamenta querendo que o marido de alguma forma reveja a burrada que fez e volte para ela o que não acontece e não toma banho isso mesmo, o seu humor passa por diferentes nuances, chegando a ficar psicotica por um tempo e deixar todo mundo assustado.

O seu comportamento realmente estava bastante assustador, todos estavam com medo dela, até a situação ficar insustentavel, seu pai decide ter uma conversa séria com ela, para rever seu comportamento e o quanto aquilo esta sendo prejudicial para ela, para a familia e principalmente para seu lindo bebe. Ela não muda da noite para o dia, mas enfim ela passa a se comportar melhor, tomar banho até que enfim e cuidar de sua filha que afinal não tem culpa do pai canalha que tem. 

Mas a vida gosta de pregar peças não é mesmo, e para Claire não é diferente, e a peça que a vida resolveu pregar nela tem mais de um metro e noventa, moreno, musculoso, inteligente e bonito. Adam é amigo de faculdade da irmã mais nova de Claire, e muito charmoso  encanta a todas as mulheres da família Walsh a mãe, ela própria, suas duas irmãs mais novas e pequena Kate. Ele é muito simpático, e se mostra encantado por Claire e Kate, mesmo sendo mais novo (ele tem 24 e ela 29) é maduro e mais responsável que ela própria em minha opinião. Eles começam então a se encontrar, seja numa festa ou na academia e a se paquerar, e mesmo que ela ainda ache que vai voltar com o marido idiota, ela não consegue evitar e os dois acabam se relacionando.

(Meu historico no skoob, olha quanto tempo eu levei para conseguir terminar esse livro)

Mais aí eis que ressurge na historia o marido canalha, traidor e sem vergonha na vida de Claire, o que ele quer afinal? Logo agora que ela estava recuperando a auto-estima. Não foi ele que a abandonou na maternidade com a filha recém nascida e não deu um único telefonema para saber como ela estava, esse mesmo. Eu fechei o livro na hora, realmente não queria saber o que ele queria lá, e quando decide continuar a leitura não podia ter ficado mais chocada. Pelo menos o fim não foi tão desastroso quanto pensei que seria, mas foi maçante demais chegar nele, fiquei com um pé atrás em relação à autora, mas sei que preciso superar isso já que no mesmo dia que comprei Melancia eu comprei Sushi e não quero desperdiçar meu dinheiro.

Tirando toda a canalhice de James, o que eu menos gostei na historia é fato da Claire sempre precisar da opinião dos outros (principalmente dos homens) para se sentir bem, se sentir feliz e bonita, o que eu acho uma atitude negativa, e completamente subverciente. A personalidade da protagonista como um todo é desastrosa, ela devaneia a maior parte do livro o que irrita além do comum, e apesar dos 29 anos tem atitudes infantis e mimadas. Tenho que ser honesta e dizer que no final ela ficou mais madura mas não muito, e conseguiu me surpreender, no fim a historia não foi tão ruim quanto eu pensava. E mesmo tendo gostado da família dela, que para mim foi o ponto alto do livro está bom na verdade foi Adam, mas esse também não sei se tenho disposição para ler os outros livros dedicados a família Walsh.