Halloween parte 2

O Halloween na mídia:

Cinema:
Lógico que os filmes de terror são os mais recomendados para assistir no Halloween, filmes como Pânico, A hora do pesadelo, Sexta-feira 13, Dia dos namorados macabro, Olhos do mal, O Exorcista, entre outros. O canal a cabo Space sempre dedica espaço aos filmes de terror,e nesse mês de outubro teve filmes de terror todos os dias, assassinos em serie, fantasmas vingativos, e todo tipo de maluquice que se possa colocar em um filme de terror, picaretas, serras elétricas, facões, ganchos, garras afiadas, etc.




O primeiro filme a se passar no Halloween e ter um assassino em serie, foi filmado em 1978, e trouxe para as telas do cinema o assassino quase indestrutível Mike Myers. Na trama Mike é enviado ao sanatório após assassinar brutalmente sua irmã, ele tinha 6 anos de idade e permanece no sanatório até os 21 anos quando foge na noite de Halloween, voltando para sua cidade natal passa a perseguir e matar os vizinhos de sua antiga casa, agora abandonada. O filme também tem uma seqüência Halloween 2 – o pesadelo continua que foi gravado em 1981 e traz grandes revelações sobre a família de Mike, o filme tem outras seqüências, mas que desvirtuam um pouco a historia dos primeiros filmes, aquelas seqüências que só são feitas para pegar carona numa marca de sucesso, mas que na verdade são totalmente desnecessárias. 


Tem mais duas seqüências: Halloween 20 anos depois e Halloween: Ressurreição que são com Jamie Lee Curtis, que interpreta a mesma personagem 20 anos depois de todo horror que viveu, a primeira eu acho uma boa seqüência, mas a segunda que eu citei é muito boba e não vale a pena assistir.  Existem regravações do filme é claro, como sempre acontece com os classicos, mas não valem a pena, se for para assistir, aconselho a assistir o original.

Musicas:

Existem muitas musicas que falam sobre o Halloween, vou falar apenas de algumas que eu conheço, por que senão não teria espaço aqui para escrever, e seria necessário um post inteiro para falar de todas que eu são boas.









This is Halloween: Musica gravada pelo Panic at the disco para uma edição especial da trilha sonora do filme O estranho mundo de Jack em 2006, no mesmo cd tem a versão dessa musica cantanda por Marylin Manson.
“Eu sou aquele escondido debaixo de sua cama
  Dentes de tubarão e olhos vermelhos
  Eu sou aquele escondido debaixo da sua escada
  Dedos como cobras e aranhas em meu cabelo”
“Eu sou o “quem” quando você chama “quem esta aí?”
  Eu sou o vento soprando seu cabelo
  Eu sou à sombra da lua na noite
  Preenchendo seus sonhos com a borda do medo”



·    








  Halloween: Musica da banda londrina formada em 1976 Siouxsie e The Banshees, faz parte do album Juju lançado em 1981.
 “A noite esta quieta
  E a neblina morde minha face
  Eu visto minha silenciosa mascara
  E murmuro como um fantasma
  “Doces ou travessuras?”, “Doces ou travessuras?”
  O amargo e o doce”










Halloween at Hogwarts: Para os fãs de Harry Potter o dia das bruxas é muito  importante,e para comemorar a data que tal ouvir essa musica da banda Ginny and the heartbeakers, a musica à capela é muito bonita.
“Enquanto os outros estão a dormir com a
  Barriga cheia de doces
  De seus truques e seus deleites
  Eu deito acordado
  Na minha cama rangente de idade
  Com visões na minha cabeça
  Dos sons dos morto-vivos
  Estou bem acordado”
Várias letras da banda fazem referência a Harry Potter, entre elas VoldeWho? e Shadows by Severus, entre outras.


Livros:
Para esta data especial nada de leituras leves e bobinhas, os livros recomendados são contos e historias de terror de autores que marcaram época e influenciaram gerações.












Contos de Edgar Allan Poe

Edgar Allan Poe foi um dos percussores do gênero ficção cientifica, e foi o mestre do conto, inspirou compositores como Debussy, Bob Dylan e era admirado por grandes nomes da literatura como Fernando Pessoa, Machado de Assis, Julio Cortazar. Li em um blog uma citação que exemplifica bem a tônica da obra de Edgar Allan Poe:
“Aquele que escreveu linhas apavorantes não por que nela temos monstros, mas por que coloca em palavras os monstros que carregamos dentro de nós.”  - http://blog.meiapalavra.com.br 











H.P. Lovecraft

Boa parte das obras de Lovecraft teve como inspiração seus próprios pesadelos. Por isso sua obra é marcada pelo subconsciente e pelo simbolismo. Toda obra de Lovecraft é do gênero de horror e por isso entra para a categoria livros para ler no Halloween.

Halloween parte 1


Eu sou brasileira, não tenho nenhuma ascendência americana ou européia, mas, eu simplesmente amo o Halloween, culpa de quem, Hollywood é claro, sempre ela. Desde criança eu sou fascinada por essa data comemorativa, quando eu era criança, sair por aí pedindo doce à noite e fantasiado era meu sonho de consumo, estava no topo da lista de desejos, infelizmente nunca o realizei, tinha que me contentar com o dia de São Cosme e Damião, que era bom sim, mas não era a mesma coisa, por que não tinha fantasia.

Um pouquinho da historia do Halloween


Teve origem num tradicional festejo dos povos celtas da Europa pré-medieval. Conhecida como Samhain, era comemorado no dia 31 de outubro – dia em que se acreditava que acontecia o encontro do mundo espiritual com o mundo físico – que marcava o fim do verão e o inicio do ano novo, e celebravam-se as fartas colheitas. Os celtas acreditavam que os espíritos de todos que haviam morrido naquele ano, voltaria para tomar o corpo dos vivos para permaneceram mais um ano na terra. Por isso nesta data eles apagavam as tochas e colocavam fantasias e com isso tentavam espantar os espíritos. A festa foi levada para os EUA pelos imigrantes irlandeses no séc. XIX.


Elementos do Halloween

Gostosuras ou travessuras: 

Teve inicio em um costume europeu do séc. IX, chamado de “souling”, esta tradição consistia que no dia 2 de novembro os cristãos iam de vila em vila pedindo “soul cakes” (bolos de alma) para cada bolo que ganhava a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador, as orações ajudavam a alma a ir para o céu.


Abóboras:

De origem irlandesa, a lenda fala sobre um homem chamado Jack que era conhecido por pregar peças nas pessoas, ele por duas vezes enganou  o Diabo e o humilhou, quando morreu, não foi aceito no céu por suas brincadeiras, e por  ter humilhado o Diabo também não foi aceito no inferno, porém, o diabo entregou uma brasa para Jack para ele iluminar seu caminho no limbo, para que a brasa durasse mais Jack a colocou dentro de um nabo. Os irlandeses usavam nabos para fazer suas decorações, e quando houve uma grande imigração irlandesa para os EUA eles levaram com eles essa tradição, mas perceberam  que as aboboras eram  maia abundantes e mais fáceis de entalhar.


Bruxas:

As bruxas são o ícone do Halloween e existem muitas lendas falando sobre elas, uma delas é que as bruxas se reuniam duas vezes ao ano, durante as mudanças de estação nos dias 30 de abril e 31 de outubro, e chegavam em vassouras voadoras, para uma festa em que o anfitrião era o próprio diabo, elas jogavam   maldições e feitiços em qualquer pessoa, causavam todo tipo de transtorno. 

Meg Cabot


Meg Cabot é minha diva!!! Muito clichê? Eu sei, mas não tem como começar esse post sem dar uma tietada nela, é a autora da qual eu, mas já li livros, entre eles toda a serie da Heather Wells, minha preferida indiscutivelmente, a serie A mediadora que eu já li os cinco primeiros, só falta o ultimo, vou sentir muita falta das loucuras da Suzannah, a serie A garota americana que foi meu primeiro livro da Meg, que eu li em 2006 e ainda tem uma seqüência que é sensacional, a Série Boy que eu já li os dois primeiros, e amei muito, ainda mais por que uma das personagens é assistente social, assim como eu serei em breve, e por ultimo e não menos importante a serie A rainha da fofoca, que eu já li o primeiro e chorei de tanto ri com as confusões em que a Lizzie se mete. E ainda pretendo ler mais, tem as continuações, os livros novos, os antigos, só sei que se a Meg escreve eu paro para ler.

Meg nasceu na cidade de Bloomington no estado de Indiana, em 1 de fevereiro de 1967, Meg teve uma adolescência difícil, na qual ela se considerava feia e detestava usar óculos, mas por isso toda adolescente passa, porém, o pai de Meg era alcoólatra, e ela morria de vergonha de receber suas amigas em casa, além de ficar sempre angustiada, e sofrer bullying na escola. E depois da morte do seu pai, sua mãe passou a se relacionar com um dos seus professores, o que a deixou muito mal, por isso ela buscava na literatura uma forma de escapar da realidade. 

 
Seu livro de estréia foi o Diário da Princesa, que conta a historia de uma adolescente que descobre ser herdeira de um trono em um país fictício da Europa, e mostra como ela lida com todas essas novidades que mudam drasticamente sua vida, nesse livro a autora relata também fatos autobiográficos como o namoro da mãe da protagonista com um de seus professores, e o fato da personagem se dar mal na matéria de álgebra, assim como ocorreu com ela. Meg diz que seus livros são como válvulas de escape para fugir dos problemas típicos da adolescência, é desse tipo de literatura que sentia falta quando era adolescente. Para se manter em sintonia com o publico jovem, Meg colhe várias historias através de seu site na internet, mas, sobretudo ela admite que a idade mental dela é de uma adolescente de 14 anos, e afirma  que “como não pude viver essa fase plenamente, virei adolescente depois de adulta”. Desde seu livro de estréia em 2000 Meg, já lançou mais de 60 livros, em media a autora lança 5 livros por ano, mas sem perder a qualidade.

Formada em Artes, Meg decidiu se mudar para a cidade de Nova York para trabalhar como ilustradora, o que não deu certo, tendo que procurar outro meio de se sustentar, Meg passou por vários empregos. Incentivada pelo namorado (hoje seu marido) Meg começou a escrever seriamente o gênero de ficção quando tinha vinte e poucos anos. Seu livro de estréia O diário da princesa levou mais de 10 anos até ser finalizado, período em que trabalhou na universidade de nova York, como assistente de dormitório. É casada com Benjamin D. Egnatz desde 1993, eles se casaram no dia 1 de abril (conhecido no Brasil como o dia da mentira, e nos EUA o dia do tolo), o que foi uma brincadeira da Meg, por que o seu marido dizia que só os tolos se casam. Hoje Meg mora em Key West, Florida, vive em uma mansão do século XIX, com o marido ex-executivo de Wall Street, que hoje se dedica à culinária, segundo Meg “a principal atividade dele é cuidar de meu estomago”, o casal não tem filhos, pois a escritora teve que se submeter a uma cirurgia que a deixou estéril, tema que deixa Meg muito triste e sobre o qual ela não gosta de falar.


Agora Meg esta lançando um livro sobre vampiros - Insaciável - e sobre isso ela fala “eu não sou fanática por historias de vampiros, mas eu amo a cultura pop. E historias de vampiros fazem parte da cultura popular a milênios”, a autora revela também que prefere os vampiros mais assustadores, quando perguntada se inspirou-se na saga crepúsculo, na serie True blood, ou em alguma historia do gênero. Meg diz que queria trazer de volta os mitos originais de vampiros, especialmente os de Drácula de Bram Stocker, e que queria introduzir uma protagonista forte, que não fica sentada esperando ser salva, mas que esta travando lutas para salvar o mundo. Estou doida para ler mais esse livro da minha querida Meg, espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouquinho mais sobre essa autora que é maravilhosa.